Dando “uma geral” na vida pessoal

O_Desafio_da_Organizacao_Pessoal_MATERA__

Se você trabalhou ou teve contato com alguém que trabalhou em uma grande empresa, possivelmente já ouviu falar de 5S. Ainda que muitas pessoas não saibam exatamente o que significa, essa é uma linguagem muito comum dentro das organizações.

O 5S é uma metodologia que surgiu em uma empresa japonesa após o fim da Segunda Guerra Mundial e que visa controle de qualidade e melhoria contínua. Cada um dos “S” significam respectivamente:

  • Seiri: senso de utilização
  • Seiton: senso de organização
  • Seisou: senso de zelo
  • Seiketsu: senso de higiene
  • Shitsuke: senso de disciplina

Essa metodologia foi (e é) uma ferramenta de resultados tão positiva, que é possível ser aplicada em diversas áreas da vida. Portanto, nada melhor que aproveitar a segunda-feira e o início de uma nova semana para aplicar o 5S na sua vida pessoal.

ATENÇÃO:

  • É muito importante que todas as etapas sejam feitas em momentos calmos e tranquilos e que, além da reflexão, sejam feitas anotações por escrito, assim, o cérebro trabalha melhor no registro das informações e a eficácia do processo se torna maior.
  • Não faça todo o processo em um mesmo dia, dê tempo para que o seu cérebro “digira” cada etapa. Ao mesmo tempo, não dê intervalos muito grandes entre um “S” e outro, mantenha o ritmo da mudança.

 

1º SENSO DE UTILIZAÇÃO: Melhorar e separar tudo aquilo que é útil e descartar o inútil. 

Separe um momento para realizar o Seiri nos seus sentimentos e projetos pessoais. Essa é a etapa inicial, onde se separa o necessário do desnecessário. Gaste tempo com você, reflita e reveja os planos; aprimore e cumpra pequenas metas e descarte atividades que te fazem perder o foco.

Se acaso você pensar “não tenho certeza se quero ou não isto”, faça uma lista de prós e contras e reavalie para chegar a uma decisão.

NÃO ADIE SUAS DECISÕES E ELIMINE TUDO AQUILO QUE TE CONSOME ENERGIA EXCESSIVA SEM ATINGIR RESULTADOS.

2º SENSO DE ORGANIZAÇÃO: Cada coisa no seu lugar. 

Nesse momento, o objetivo é reorganizar o que passou pela primeira etapa. Através do Seiton, categorize os seus planos comoCURTO, MÉDIO e LONGO PRAZO e estabeleça pequenas metas dentro de cada plano, com começo, meio e fim.

É importante lembrar que somos um ser único e que nossos sonhos, por mais que se encontrem em áreas diferentes, se interligam através dos nossos próprios interesses. Por isso, categoriza-los por tempo e por área da vida é importante, para que seja possível fazer uma análise real e minimizar os conflitos que possam existir entre um plano e outro.

CAPRICHE! Separe-os por tipo, etiquete, enumere ou crie novas categorias para o que achar necessário. É muito importante que você organize seus sonhos/planos de uma forma que todos fiquem claros, concretos e executáveis.

3º SENSO DE ZELO: Criar e manter um ambiente físico agradável.

Até agora, já passamos por duas etapas iniciais da organização. Essa terceira é mais prática e diz respeito ao ambiente físico. Você sabia que os ambientes que você frequenta e permanece influenciam diretamente no seu emocional?

Com certeza você já passou por alguma situação onde entrou em um local tão bagunçado que as pessoas que estavam dentro dele reagiam de forma instintivamente negativa.

A forma como organizamos nossos espaços como nossa casa, trabalho, veículo, etc. refletem a forma como nos encontramos internamente. Portanto, o objetivo do Seisou é criar e manter o emocional e os ambientes físicos em equilíbrio e harmônicos.

4º SENSO DE HIGIENE: Cuidar da saúde física, mental e emocional.

O Seiktsu é uma etapa muito importante do processo de 5s. É aqui que focamos nossa atenção ao cuidado pessoal, interno e externo. Temos pouco hábito de olhar para nós mesmos e é nesse momento que nos “forçamos” a praticar isso, até que se torne algo natural.

Pratique atividade física, nem que seja meia hora de caminhada, pelo menos três vezes na semana. Exercitar-se ativa importantes substâncias do organismo que promovem bem estar, prazer e realização.

Também pratique, a todo momento que possível, reflexões que te levem ao equilíbrio emocional.

5º SENSO DE DISCIPLINA: Manter os resultados obtidos.

Esse é o passo mais simples do processo de 5S, mas também o mais difícil de ser praticado. Exige autodisciplina e repetição da prática dos outros 5S executados e das conquistas obtidas até aqui.

Quantas vezes nos propomos a realizar alguma coisa e nossas vidas, chegamos até determinada etapa e depois abandonamos todo o projeto? Essa prática sempre vem acompanha de desculpas como “minha rotina está muito sobrecarregada” ou “no momento estou precisando focar em coisas mais urgentes”, dentre outras.

Segundo a PNL (Programação Neurolinguística), o nosso inconsciente “aprende” através da repetição. Quanto mais você pratica, mais essa ação ficará fixada no seu cérebro, até o momento que se tornará um hábito automático (como amarrar o cadarço dos sapatos). Portanto, o Shitsuke é uma etapa importantíssima para garantir que tudo o que foi feito aqui não tenha sido em vão.

“Se você não pode descrever o que está fazendo, você não sabe o que está fazendo.”
(William Edwards Deming)

Comece hoje e continue pra sempre. São as mudanças que nos fazem evoluir.

Anúncios

“Ao Infinito e Além!” – Em Busca dos Seus Sonhos

buzz

“A realização de todo feito extraordinário
consiste em ter um sonho
e acreditar nele.” (Augusto Branco)

O grande objetivo da maioria das pessoas no decorrer da vida é ver os seus sonhos realizados, seja no âmbito individual, profissional, amoroso, relacionamentos sociais, etc.

Mas a verdade é que, muitas vezes os sonhos sequer saem da nossa mente, passamos décadas escondendo no mais profundo do nosso íntimo e nada fazemos para realizá-los. Quando nos damos conta, o tempo passou, a vida passou e não há mais espaço  para aquele sonho, então, substituímos por um novo, novamente não realizado e repetindo sempre esse mesmo ciclo de insucesso.

Como então encontrar motivação para nos levar à realização dos nossos sonhos?

1) NÃO ABANDONE OS SEUS SONHOS, TORNE-OS POSSÍVEIS! 

O personagem Buzz Lightyear, da trilogia Toy Story, é um astronauta de brinquedo que acredita a todo custo que pode voar e que a pequena e fraca luzinha vermelha que tem no braço é um laser poderoso.

Apesar de estarmos falando de um desenho, podemos tirar uma lição valiosa dessa animação. Mesmo que essas coisas não sejam reais, o fato de acreditar fortemente em si mesmo e na capacidade dos seus “poderes”, possibilita Buzz a ter coragem suficiente para enfrentar e ser bem sucedido em proteger e salvar seus amigos de perigos enormes.

 Seu lema, repetido ao longo de toda a trilogia, “Ao infinito e além”, pode ser encarado como um impulsionador para que acreditemos que podemos ir além de onde já chegamos. Não existe limites para os seus sonhos! Chegue onde você acredita que pode e, SEMPRE, ouça a sua voz interior e intuição acima das opiniões alheias.

Eleve os seus sonhos a qualquer lugar que acreditar ser possível. 

2) É NECESSÁRIO SAIR DA ZONA DE CONFORTO! Ter disposição para lidar com nossos medos e enfrentá-los é o primeiro passo para qualquer sonho começar a se tornar palpável. Mudar dói, sim, mas é necessário quando queremos evoluir. Toda crise, provoca mudanças e é a partir delas que temos chance de atingir o nosso alvo.

3) PLANEJE PARA QUE O SONHO TOME FORMA. Quando conseguimos transferir algo que está dentro da nossa cabeça e registrar de forma escrita, o nosso cérebro tem a chance de organizar e registrar melhor essas ideias. Crie passo a passo, com prazos possíveis de serem cumpridos.

ATENÇÃO: prazos irreais impedem o cumprimento das metas e gera frustração! Seja realista com o seu contexto e sua realidade de vida para que consiga cumprir cada etapa planejada.

 Sabe aqueles sonhos e planos pausados na sua vida? A hora de realizá-los é agora!

“Todos os nossos sonhos podem-se realizar, se tivermos a coragem de persegui-los.” 

(Walt Disney)

O que vou ser quando crescer?

Kite 2_01

No decorrer das nossas vidas, raramente encontramos pessoas que decidem ainda quando crianças o que querem seguir de profissão e realmente exercem aquilo que costumavam dizer ainda na infância.

Quando pequeninos, sonhamos e fantasiamos e isso é extremamente saudável, nos imaginamos exercendo inúmeras atividades diferentes, de acordo com a brincadeira do momento.

Ao chegarmos na adolescência e juventude, somos obrigados a pensar com um pouco mais de seriedade na profissão que escolheremos, já que as provas vestibulares e inscrições nas faculdades acontecem por volta dos 17 aos 19 anos. Essa reflexão, no geral, acontece quando realmente não há mais tempo para evitá-la.

Devemos entender que para muitas decisões da vida o jovem é encarado como imaturo, mas não em relação à escolha profissional, aquilo com o que pretende trabalhar o resto de sua vida. Engraçado isso, não é?

Por ser um adolescente/jovem, a pressão de acertar é ainda mais forte por parte dos pais, escola, colegas, familiares, etc. e o momento de transição para fase adulta grita ao ter que apresentar uma resposta tão certeira para uma pergunta nada simples: “O QUE VOU SER QUANDO CRESCER?”.  A hora de “crescer” chegou e a grande maioria dos estudantes não se vê prepara para esta decisão.

Uma escolha profissional mal planejada gera inúmeros prejuízos, principalmente para o jovem, figura central deste processo, comprometendo seu emocional e seus resultados. Além deles, também são afetados direta ou indiretamente por uma escolha errada:

os pais que investem durante o período escolar e tem grandes expectativas em relação ao futuro do filho;

as escolas que são pressionadas pelos pais a serem parte integral desta escolha;

as faculdades porque investem em professores, estrutura física, entre outros recursos para receber esse aluno que muitas vezes abandona o curso superior nos primeiros períodos;

as empresas que recebem esses jovens estagiários e depois profissionais, que de alguma forma estão na profissão errada, sem desempenhar o papel que deveriam dentro da empresa porque se sentem infelizes.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Insitituto MS de Coaching de Carreira, cerca de 25% a 40% dos jovens DESISTEM ou mudam de curso superior nos primeiros 8 meses devido uma escolha profissional mal planejada.

Outra pesquisa, agora aplicada pela Trajeto Consultoria, com alunos do 3º ano do ensino médio, de escolas particulares do Recife, apontou que cerca de 40% dos jovens têm pouca ou nenhuma informação sobre o perfil do profissional e do mercado de trabalho no âmbito da carreira que pretendem seguir e, ainda, que menos da metade (cerca de 46%) conhecem os cursos pelos quais têm interesse.

A consultoria ainda concluiu que, apensar do número quase infinito de meios de acesso a informações, os jovens ainda utilizam principalmente o meio informal para escolha da carreia: 75% dos estudantes escolhem a profissão por meio de conversas com amigos e/ou parentes.

A boa notícia é que existem métodos que podem ajudar o jovem neste momento tão complexo!

Participar de um processo de coaching vocacional não elimina as dificuldades, mas prepara o indivíduo para lidar com elas e minimizar suas frustrações.

Durante a vida ele poderá fazer e refazer escolhas, planejar e elaborar projetos pessoais para curto, médio e longo prazo, usando técnicas desenvolvidas durante o processo de coaching.

Uma escolha profissional madura é feita com CONSCIÊNCIA e CONHECIMENTO.

É feita com base não só em informações sobre as profissões, mas, principalmente, com AUTOCONHECIMENTO.

Felicidade

felic

Não dá para negar que o ser humano trava uma busca constante por ser feliz. Muitos se perguntam: “Quando sei que já atingi a felicidade?” ou “Só sou feliz quando experimento a felicidade plena?”, entre outros questionamentos que instigam as pessoas (e inclusive a ciência) a buscar resposta para este tema tão complexo.

Raramente as pessoas estão satisfeitas consigo mesmas e suas vidas. Parece que quanto mais conquistam, mais almejam e entram em um ciclo sem fim. O que a maioria não sabe é que a felicidade não vem das conquistas que realizamos; não está em ser promovido, no aumento de salário, na viagem dos sonhos ou no carro novo que compramos. A felicidade se encontra na simplicidade da vida e no comportamento que decidimos ter em relação a quem nós somos como indivíduos dentro do contexto que vivemos.

A forma como você decide levantar da cama nos primeiros minutos do seu dia, por exemplo, influenciam positivamente ou negativamente em como você vai lidar com os desafios que aquele dia te proporcionará.

Felicidade não é sinônimo de ausência de problemas, mas de maturidade para lidar com as adversidades da vida.

Ainda permanece a pergunta: “O que posso fazer então para ser mais feliz?”. Segue algumas dicas que podem te ajudar a facilitar a conquista da felicidade no seu dia a dia.

 

1. TRACE UM PLANO

Algumas pessoas gastam mais tempo planejando uma festa do que a própria vida. Tenha sempre um objetivo que você quer alcançar a curto, médio e longo prazo. Conforme atingir cada uma dessas metas, substitua por novos planos. São os nossos sonhos que nos motivam a evoluir, a sair do lugar e a lutar a cada dia.

 

2. COMPREENDA E CONTROLE O SEU ESTADO EMOCIONAL

O emocional influencia nas atitudes e comportamento das pessoas e a busca de autoconhecimento constante está diretamente ligada ao controle das nossas emoções. Se autoconhecer é um grande fator impulsionador para alcançar a felicidade.

 

3. TRANSFORME-SE CONSTANTEMENTE

Reinvente, mude, renove! De tempos em tempos, faça uma “limpeza interna”, deixe ir embora as lembranças, sensações e emoções que te puxam para baixo e impedem o seu voo de ser ainda mais alto.

 

4. MEXA-SE 

Por último, tome uma atitude! Mexa-se para começar a mudar o quanto antes. Quem fica só na teoria não sai do lugar.
Aproveite essas dicas e comece JÁ sua jornada de transformação!

 

Aproveite o hoje, o tempo para ser feliz é o Agora!

O que é Coaching?

Coaching-iStock-pic-medium

Olá, seja bem vindo ao meu blog! Ao longo das semanas disponibilizarei conteúdos relacionados a este tema super atual que é o coaching, aplicado ao dia a dia.

Antes de partirmos para qualquer assunto é muito importante respondermos uma pergunta: AFINAL, O QUE É COACHING?

Resumidamente, podemos dizer que coaching é um processo entre duas pessoas e/ou grupo de pessoas, que se comprometem a dar o melhor de si para alcançar metas e objetivos de forma mais rápida.

Para garantir que as ferramentas e técnicas sejam eficazes, é necessário que o coach (profissional responsável pelo processo) respeite o mundo em que o coachee (cliente que busca o processo) está inserido, sem nenhum julgamento em relação a sua realidade. Suspender o julgamento é a regra número um para que o processo seja bem sucedido.

Ok, tudo muito esclarecedor até agora, mas tem uma crença que as pessoas têm e que as fazem desacreditar do processo de coaching: “O coach sabe tudo de tudo pra dizer que pode me ajudar?” ou “O que o coach pode me ensinar que eu ainda não sei?”.

Quase sempre NADA. O Coach em geral não sabe mais do que você sobre aquilo que você precisa realizar. Além disso, o profissional não é um especialista técnico, mas sim especialista em COMPORTAMENTO HUMANO.

A essência do trabalho do coach é ajudar o cliente a ter novas perspectivas em relação a um mesmo problema e trabalhar para acelerar ideias, estimular ações e reforçar o comprometimento com objetivos.

É claro que não farei sessões de coaching pelo blog! Mas espero de coração que cada artigo publicado aqui, desperte o melhor em você!

 

Um abraço!